Prazer invulgar



Na literatura dos sentidos
Percorro as tuas linhas
Acaricio teus versos

Cada silaba sorvida serena
- sensual cadência -
Toda estrofe palmeada com zelo

Com a calma dos amantes maduros
- Senhores seguros -
Desnudo tua alma pelas letras

Possuo-te além da matéria
Em comunhão etérea
Derramo-me em ti
 
 

2 comentários:

Verso Aberto disse...

poema e tanto
dos melhores

parabéns André

abração

Rosangela Ataide disse...

Parabéns André! Uma poesia para sentir... E para vivenciar.
Bjs poéticos!