O Banho


A água escorrendo por seu corpo...
Seus cabelos molhados, colados ao rosto.
A espuma do xampu desce de sua cabeça, escorre por sua face e molha seus lábios.
Seus perfeitos lábios que tanto beijei.
Do rosto ao pescoço e deste ao colo atingindo seus seios em formato de pêra naturalmente duros. No momento do banho, ao brilho da água, e com os movimentos do ensaboar, se tornam dois seixos encantados desafiando a força da gravidade.
Intumescidos, seus biquinhos parecem duas torneiras jorrando.
Suas mãos, em massagem, esfregam os fios que adornam seu rosto.
O vapor transforma o banheiro num ambiente magicamente enfumaçado. Cria uma atmosfera delirantemente suave.
O calor da água é como um agasalho que envolve seu corpo e a tranqüiliza. Faz com que se sinta bem e então, se entrega aos afagos, impensadamente não resiste ao imaginário.
Lenta e docemente suas mãos buscam mais e mais. Sem perceber você geme!
Como em uma dança, se contorce, se vira, se revira. Leve, solta, sensual!
O feitiço do desejo a domina!
Um de seus dedos entra em sua boca e troca movimentos com sua língua.
O sabor do sonho a faz delirar!
A outra mão, com a ponta dos dedos, toca um mamilo. Mais uma vez você geme!
Suas pernas mantêm seu corpo inquieto. A dança do delírio a faz sentir mais a sensualidade que toma conta do seu ser.
Os movimento de sua mão se aceleram. Já não são leves toquinhos de dedos.
A mão espalmada esfrega o mamilo e você geme!
Seus dedos se fecham. Entre eles, a forma de pêra está ameaçada. Cede para novamente voltar ao normal quando o solta. Você geme!
Já não é o bastante o que tem. A água morna, a espuma facilitando os movimentos, o rebolar sensual, você quer mais.
Seus dedos saem de sua boca entreaberta e percorrem seu esguio corpo, dirigem-se ao baixo ventre.
Param por segundos em seu umbigo e um dedo faz dele morada passageira.
Não, ainda não é o bastante. Mais, mais! Assim você quer, assim você faz.
Entrelaçados com seus pelos, seus dedos procuram pelo pontinho mágico.
Encontrado, se vê preso entre polegar e indicador. É pressionado, torcido, apertado, massageado. Você geme!
Suas pernas se abrem. Já não bastam a água, a espuma, os lábios entreabertos, os seios massageados, o pontinho mágico e a sensualidade de seu corpo retorcido. Você quer mais, mais. Você geme!
Sua mão vai em busca do seu desejo. Vai cumprir sua missão.
Penetra em seu corpo e dá ritmo aos movimentos.
Você se contorce levemente. De pernas abertas, dobra sutilmente os joelhos e se entrega. Você geme!
O ritmo acelera. Seus movimentos de corpo fazem uma dança do ventre sincronizando-se com sua mão. Você geme!
Mais, mais, você quer mais. Seu gemido já se tornou um mantra e se repete, ...repete, ...repete!
Cada vez que você sente, ...que se imagina penetrada, você geme!
Mais, mais, mais... um tremor toma conta de seu corpo. Seus músculos se contraem e relaxam em espasmos.

Mais, mais, mais... Quanto mais quer, mais sente. Mais e mais.
É o auge, o clímax. Você grita!
Se contorce! Aperta as pernas! Aperta as mãos entre as pernas! Suspira profundamente!
O calor da água em seu corpo a envolve como um agasalho. Você relaxa!
Desliga o chuveiro.
O vapor ainda mantém a atmosfera irreal, mágica!
Enxuta, enrolada na toalha, cansada, você se deita. Adormece.
Um movimento, um simples movimento e a toalha se abre.
Nua, perfeita, linda... é assim que eu a encontro!
Imagem de sonho!
Tão irresistível quanto possa!
Suavemente eu a beijo!
Faço amor com você.

Rogativa

Sinto-te
meus seios
arrepiam-se
minhas pernas
entreabrem-se
provo do
teu gosto
tua pele
sinergia
chego ao
céu
rogo
a deus
pra te
amar assim
todo dia                                           Celamar Maione

Perfume


Sonhei contigo em segredo
Enquanto esperei teu retorno,
Mas dada a demora da volta,
Decidi não mais dedicar-te meu sono.

Com o passar do tempo
Pensei não mais pensar em ti;
Foi inútil, assim eu soube
Logo que te revi.

Enlouqueci ao rever teu púbis negro,
A tua pele dourada, teu olhos miúdos,
A tua boca bem formada.

Gozo e choro se misturaram
Sentindo o perfume que exalava
Teu sexo na madrugada.

Sacrifício ritual



Teu corpo é altar pagão
Consagrado ao desejo
Onde todas as noites
- ora cordeiro, ora Leão -
Elejo-me holocausto
Abraço a minha sorte
E a - pequena - morte
Ofereço a ti, Deusa


Amante Virtual


Mordi suavemente
Os meus lábios
Tendo em mente os seus

Ao pé do seu fone de ouvidos
Discorria a mais suja
Linguagem binária

Acariciei o mouse sensual...
Sentidos a postos...
Possuindo-me na intenção da sua imagem
Em megapixels de alta resolução

Delírios de um amante virtual


Delírios


Cruel tempestade
que me arrasta,
faz gemer e tremer
meu corpo
num delírio louco
de pernas bambas
bocas úmidas
sexo quente
que sangra de dor
em louco filme
de amor

Acabou


Chega de tanto clamor
Não há mais sentido
Ter meu corpo ferido
Feito em pedaços
Desfeito em bagaços
Pra viver desamor.

Não quero falsidade
Se surge  saudade
Insano  desejo
Aperto e rastejo
Meus seios e púbis.

Narinas se abrem
Pupilas dilatam
Meu grito de êxtase
Ecoa no espaço!




Desligue o som do Blog, abaixo à esquerda -Mes Sons- e depois acesse aqui no Sound Cloud, para me ouvir cantando. 


by Neusa Fiesta
imagem  by aramismarron

Despedida

Preparei o melhor jantar
Servi o vinho
Coloquei a mesa
Depois entreguei
minha alma
 com sofreguidão
e desejo
Na emoção de corpos
 entrelaçados
ainda com gosto de sexo
Nos desalinhamos
 e desafinamos
no compasso do desamor
Tranquei a porta
com gosto de despedida
Pressenti a partida
Adeus, amor
Nosso romance acabou

Pensamentos



Pensamentos  me tomam.
Neles você está.
Voa a imaginação,
Pousam sensações,
Inimagináveis sensações!


Pensamentos  me assolam.
Neles você me doma,
Povoando a imaginação.
Me tomam as sensações,
Adoráveis sensações!


Pensamentos  me assumem.
Neles você se entrega,
Provocante imaginação!
Explodem as sensações!
Transbordo em sensações!


Pensamentos  vagueiam.
Neles você me toma,
Satisfaz a imaginação.
Saboreia minhas sensações.
Deliciosa sensação!


Pensamentos  se vão.
Neles você se apaga.
Insatisfeitos por ser imaginação!
Sensações perdidas!
Frustradas sensações!!

Você ...

Você me enlouquece,
me excita, me agita!
Mexe comigo,
deixa minh'alma aflita


Você me agride,
me invade,
me toma.
Me faz ser fera,
então me doma!


Você me faz muito
e basta fazer tão pouco.
Você me faz menino,
Me faz um homem louco.


Você me deixa largado.
Meu espírito se rasga !
Vagabundo apaixonado!
É a garganta que se engasga.


Peito aberto, coração virado.
Nada é certo, nem tudo é errado,
nada é concreto, nem tudo está fechado.
Nada, tudo... pois é nosso este amor

Quem tu és

Que mulher que tu és
que me quebra os sentidos,
que me deixa perdido
e me faz ser menino?


Que mulher que tu és
que alimenta meu ego,
que me atrai com afago
no teu jeito felino?


Que mulher que tu és
que me deixa faminto,
que me instiga o instinto
e me faz te amar?


Que mulher que tu és
que mesmo a distância,
me retorna à infância,
e amor faz te dar?


És, pois,
a mulher que desejo,
e sem qualquer lampejo,
hei de sempre te amar!

Ata-me




Ata –me
Como nos filmes
de Almodóvar
Como nas mais tolas
fantasias
Ata-me nua
em teus braços
Me deixa
refém de
teus amassos
Ata -me
Com mãos de artista
Enfeitiça
Ata-me
Inteira
Guerreira
Para que eu
Mulher
Verdadeira
Não tenha
medo de amar

Celamar Maione

Sentido





Amo
cheia de malícia
Numa intensa
vibração
de energia
Minha pele
é desejo
Meu coração
geografia de
loucas fantasias
Nas tuas mãos
torno-me imortal
Brinca comigo
outra vez
Me sacia
enquanto o sol
invade a lua
Deixa eu tomar
o veneno
Do teu corpo
Para em pleno
gozo
Entrar no
paraíso
do teu sexo
para a vida
fazer
sentido

Celamar  Maione

Esqueceu?

Já se esqueceu?

Das noites ardentes

Das viagens
Das bobagens

Dos anos


Das risadas
Das passadas


Dos dias vividos
Dos dias sofridos


Das juras de um amor que
se pensava Eterno

De você dentro de mim


De toda fúria possível
Risível
Orgasmo até o impossível
De cada ponto sensível.
Daquele não acessível.

Não haverá 
amor maior que o nosso
Chorar é tudo que posso

E como se fora criança
Pergunto co'alguma esperança

Você já me esqueceu?





Imagem by grungebridegonegreen

Desejos


Desejei ser tua lágrima.
Brotar de teus olhos,
Rolar em tua face,
Me acabar em teus lábios!

Desejei ser tua saliva.
Nascer em tua boca,
Me envolver em tua língua,
Ser tomado dentro de ti!

Desejei ser teu suor.
Escorrer por teu corpo,
Percorrer tuas curvas,
Me secar em tua roupa.

Desejei ser tuas mãos,
com elas apontar em minha direção.
E, num desejo de não se controlar,
Segurar em meu corpo e me tornar teu!

Pedido


escraviza meu sexo
deixando-o
em carne viva
suga meus seios
com tua boca
carnuda e faminta
torna-me eterna
bandida vadia
presa as tuas loucas
e cruéis fantasias
numa dança
ritmada sem hora
pra acabar
                                                          Celamar Maione

Eu e o Outro

















Tira a roupa, deixa ver o teu corpo.
Deixa ver a cicatriz na virilha.
Deixa que eu explore teu corpo vivo.
Deixa que eu te faça tudo,
e do teu corpo irá brotar a canção, o hino 
ou a ópera- ou mesmo, o tango.
Deixa que te toque, que te veja.
Deixa que te xingue,  e que desse monólogo presente 
surjam juízos.
Deixa que te olhe. 
Mostra tudo, sem ambiguidade.
Deixa que tudo seja descoberto.
Deixa que te chame,
deixa que todos ouçam.
Deixa que te abandonem...

Põe a roupa agora sobre o corpo vivo e limpo.
-Sente a emoção da cicatriz saliente. 
-Cura-a !
Raciocina sobre os músculos e os instintos.
Canta a canção tua.
Mostra a parte doída.
Responde a tudo, 
abandona a carapaça.
Veste o que te dou.  
Rasga o que te incomoda.
Fura o que te esconde.
Escandaliza a tua vergonha. 
Pisa tua moral.
Desmoraliza tua verdade.
Chora da alegria, não importa a reação.
Pausa na tristeza; 
faze dela catalizador para o conhecimento.

Ama.
Beija.
Morde.
Tudo se dirige ao espírito.
O corpo é parte da alegria.

O corpo morre,antes de tudo...








Texto: Neusa Fiesta
Imagem by_jesmondcat

Anjo indecente


a minha paixão
é um anjo indecente
de cabelos negros
asas quebradas
não gosta de poesia
adora o perigo
a minha paixão
é um anjo sádico
gosta de  me maltratar
beijando-me com
arte bandida
boca carnuda mais linda
causando sofreguidão
embaraça embaça
numa intensa fissura
melódica de corpos
encharcados
molhados gozados
extasiados pela troca
de fluidos corporais
e segredos eróticos
a minha paixão é
um anjo de asas
de cera
deixa a alma
em carne viva                                               
exposta transposta
entregue a um delírio
ardente
inconsequente
inflama a fleuma
marca a  pele
despe a alma
invade atormenta
a minha paixão
é um anjo
de asas de seda 
faz cócegas
no meu umbigo
depois sai
de fininho
e só volta
quando quer

                                                        Celamar Maione


Translado

Vaguei pela vida
joguei-me na lama
passei duras penas
no abismo da cama

E agora perdida
qual cadela sem guia
aguardo assustada
minha maior transladada

Vestida de creme
ungida de luz
não passo de um traste
estranho contraste
que ao inferno conduz

Viajante sem leme
poluída,  alienada
como puta de estrada
que explora e espreme
o inferno ao extremo

Escorre-se o tempo
d' alma encardida
extingue-se o lume
do corpo, o perfume
esvai-se no céu

E eu vago ao léu...



Texto: Neusa Fiesta
Imagem: Gravura de Eduardo Lima

Me Entrego a tua Magia



Teu corpo, minha intenção
Meus dentes, cravados em teu coração
Meu amor massageado em tua mão
Teu corpo serrilhados na afiada emoção
Lucidez? Pra que? Não quero não!
Bom demais nesse delírio
No real da tua fantasia.
Sem tortura ou martírio
Me entrego a tua magia

Língua Ardente

Sinto em meu corpo
sua língua.
Que me arde
Como se fosse
um chicote
de
fogo.

E mesmo que
eu não queira
me induz
a jogar
o seu
jogo.

Me entorpece
os sentidos,
abafa-me
os gemidos
até provocar
o meu
gozo.

Que poder
é esse?
Que sedução
devassa,
é essa
que sinto
sempre
que você
me abraça?

Só de lhe ver
me arrepia
a pele, em
choques
térmicos.
E me rendo
pacífico
aos seus
desejos
hipotéticos.

Me excita e
submete
a sua ousadia.
Mas sempre
mais e mais,
como num
crescendo,
embarco
na nossa
fantasia.

E quando
entregue
aos nossos
devaneios
sentindo
em meu
corpo
os seus
meneios,
nada mais
importa.

Abrimos do desejo
as portas,
simplesmente
porque
você é
minha lua
e eu...
seu sol...


Aprendiz de Você



Cavalgo
Pelas planícies
Livre,
Sedento...
Louco...
Selvagem
Como fera...
Indomável...
No teu cabresto...
dobrado
Vencido...
Pleno...
Sem me acalmar...
Pouco a pouco...
Sou teu aprendiz
E cairei feliz!
Com você não estou perdido
Não sou mocinho e nem bandido
Sou teu potro, puro sangue atrevido!

Instinto



quero instinto
veias pulsantes
perder os sentidos
batom borrado
peles lanhadas
corpos  traçados
no espaço
desatinos
embaraços
pernas tremidas
ardidas ungidas
quero a sedução
o prazer
fazer arte
poesia
alma gemida
estremecida
contorcida
ao contato da
carne tua
que me
enlouquece
quando se
despe
para me
aquecer
e me deixar
esfolada
gozada
amada

                                   Celamar Maione


Você


Olhei teus olhos fechados,
na luz do amanhecer.
Olhei teu corpo amado,
até o amanhã nascer.

Quando olho o teu corpo
com meus olhos de desejo,
nos teus olhos de desejo
é o meu corpo que vejo.

Quando olho em teus olhos
e vejo o teu olhar de desejo,
meu corpo todo se treme
e espera por teu beijo.

Quando olho o teu corpo,
vejo e sinto teu corpo tremer,
o meu corpo é só desejo,
é o amor de te querer.

Quando amo teu corpo
e me vejo inteiro no teu olhar,
me sinto ser desejado,
no teu jeito de se fazer amar.

Quando no momento do amor,
eu fecho o teu olhar,
me sinto um homem completo.
Te sinto me completar.

Teus olhos por hora fechados,
teu peito se põe a gemer,
meus olhos por hora apertados,
meu corpo todo a tremer.

Teus olhos então se abrem,
com olhar de felicidade.
teu olhar então me olha,
com olhar de cumplicidade

Olhei teus olhos fechados
na luz do amanhecer.
Olhei teu corpo amado.
Me senti renascer.

Cheiro de pecado


Teu corpo moreno
escorregando no meu
sedento de tesão

teu corpo suado
tesão e pecado
juntos 

Teus olhos 
tua boca
teu olfato

cheirando meu corpo
lambendo meu gosto
vendo meus gestos

estremecidos os corpos
num gozo perfeito

olhos fechados
bocas sedentas
olfatos apurados...

Loba


Toda fêmea tem uma loba na alma disfarçada num corpo de mulher,
que sedenta deixa o desassossego reinar em delírios perpétuos.
Não consegue entender o amor que existe em seu mar,
onde correntezas da maré trazem, nas ondas,
paixões que desenham imagens na areia de sua praia,
…procurando o amor.
Semeia devaneios maiores no silêncio da noite,
deleitando-se nos sons do mar,
nas emoções na espuma que beija a areia,
desnudando a mulher na sombra da lua…
convidando ao amor… antes mesmo de este chegar.
O luar lhe desafia, com seu olhar, deixando a loba livre para amar,
levando-lhe à loucura infinda. E a lua cúmplice faz a loba surgir…
livre… bela… percorrendo a praia da mulher,
farejando seu amante, vivendo por quem a quer plena.
A loba domina a mulher, desenhando na paisagem em sua praia
de prazeres…uivando seu desejo… reinando soberana,
acolhendo o amante no leito do amor.
Mas mesmo assim o olhar da mulher vislumbra o horizonte.
E loba reina plena, até os primeiros raios do alvorecer,
retornando ao repouso na alma da mulher,
para deixá-la lutar por sua prole… sendo a fortaleza e o abrigo,
a sobrevivência no cotidiano da vida, uma eterna combatente!
Por isso friso que o mundo não é maior que o olhar de uma mulher.
Seus olhos vislumbram a esperança do pão… a sabedoria do repartir…
a dor social… a recusa à dignidade….
Por isso a mulher necessita da loba que habita sua alma…
para não deixá-la esquecer que, além de guerreira, é também fêmea!

Luz

Se mantenha firme na jornada... mesmo que não veja luz no fim do túnel, continue. Quem sabe você não é a luz?
Pra todos os efeitos, eu carrego uma lanterna a pilhas, seguro morreu de velho!

Loba



Então venha Loba
nua sedenta
crua e pecadora

Vamos transpirar
nossos desejos

Plantar-me em teu fruto
é o mesmo que
plantá-lo em solo fértil

Fragmentos


Ainda tenho
pedaços
da tua pele
no meu
corpo
que geme
e implora
alucinado
pelo veneno
que mata-me
de prazer
sangro
ferida
de tanto
te querer
...............................

Vou cravar
meu nome
no teu braço
pra você
não me esquecer
deixar meu cheiro
no teu peito
pra você
enlouquecer
sarrar no teu
corpo molhado
pra te dar prazer
e sair bailando
na ponta dos pés
pra você adormecer
...............................

Anoitece
chega a lua..
e com ela
as lembranças
tuas
...................................
                                 Celamar Maione

Jeans




Com sede e evidente desejo
Teu jeans rasgado é jogado
Assim como tua lucidez.
Mãos ágeis transpõem
Todos os limites da pele,
Que oscilante e escorregadia
Se entrega as sensações
Entregando teus lúbricos segredos.
Dedos mágicos brincam e
Tatuam insanidades a carne.
Aniquilando tua resistência
Dissipando os teus medos,
Redecorando tua anatomia.
Cumplicidade que nos dá asas...
Etéreas teias, onde você se prende.
Oscilando entre mostrar e esconder,
Pede pra que implore, pois gosta...
Lascivo, o corpo ardente,
Consente a inevitável entrega,
Aprovando e desejando mais e mais...
Ignorando todos e quaisquer argumentos...
Atirando pro espaço a razão!
E jeans rasgado esquecido,
É a única testemunha do nosso tesão,
Ele, solitário e largado no chão!

Caminhando na noite sonho se transforma.


Lençóis



Teus olhos
Brilhando de luz delicada
Demonstrava teu desejo.
Provei dos teus lábios
Sabor de pecado e prazer.
Devagar foi se descobrindo
Lençóis pro lado, jogados,
Travesseiros nas ancas apoiados.
Na maciez de tua pele,
Passeei por teus belos seios
Senti tuas coxas, costas,
Alisei teus crespos pelos.
Tuas pernas roçando nas minhas,
Teu sexo úmido procurado
Por meu sexo teso de desejo
E no abismo entre tuas coxas
O teu ventre cortejado!
Quente molhado a deslizar
Gemias, lágrimas escorria...
Sussurravas palavras sem nexo
Gritava durante o sexo
E a me espremer mexias
Quadris em ritmo alucinados
Transloucados em agonia.
Veio em ondas o gozo pleno
Dentro de ti encarcerado
Inundando teu sexo sereno!
Alagada as entranhas
Do prazer que merecia
Ente as coxas e os lençóis
Rósea fenda escorria!




Morda-me, Loba Vampira,
Crave tuas presas em mim
Viole-me bebendo meu sangue
Teu alimento, salgado e quente
Deixando que escorra por tua boca
Me transforme em Lobo Vampiro
E juntos nos fartaremos nas noites
Caçando e caçados em nossos terrenos


Delírio

                                                                     

vencida
pelo cansaço
de desejar-te
em vão
adormeço
com teu
cheiro
de macho
tatuado
no meu
corpo
sonho
com o
teu sexo
rijo e
quente
dançando
em minha
carne
rubra
uníssonos
chegamos
ao orgasmo
penetrando
mentes
que vibram
na mesma
sintonia
indecente
de delírios
fantasias
orgasmos
e beijos