REVELAR

Jan Saudek, Sem título, 2003.


Há uma lua entremeada
na palavra vulva:
céu trazido próximo
por elipse.
Vês quando cessa
o eclipse?

4 comentários:

Verso Aberto disse...

e num é mesmo?

em sua vulva
iluminada
está explicada
a magia da lua

só mesmo um olhar de mestre...

abração Marcantonio

FilipeSan disse...

Belo texto!
Abraço...

http://dafimastersex.blogspot.com

Rosangela Ataide disse...

Marcantonio, o céu se abriu e as estrelas cadentes se implodiram delirantes.
Amei!

O Profeta disse...

São de açúcar os sonhos de uma criança
São de algodão as nuvens que vi esta manhã
São de sal os diamantes do colar que te dei
São verdadeiros os sentimentos que pareceram palavra vã

Uma boneca de olhos que abrem de espanto
Um cavalo de madeira perdido do carrossel
Um cálice cheio de berlindes de vidro
Uma mascara de palhaço pintada a pincel

Um pião que ganha vida
Uma corda para saltar bem comprida
A trotineta jaz num canto partida
Um coração recorda uma dor esquecida
Doce beijo