Não serei a última a levar-te pra cama

Não serei a última a levar-te pra cama,
Em teu corpo másculo revelo meu desejo
Mesmo assim se preciso for eu o sequestrarei
Para tê-lo entre minhas pernas.

Mas não serei a últiam a levar-te pra cama
Te suplicarei, sem vergonha, trepa comigo!
E estarei na posição ou na situação que eu gosto
Qualquer uma menos a tradional
Velha conhecida de nossos pais.

Certamente não serei a última a levar-te pra cama.
Lutarei contigo se for preciso.
Quero estar contigo em meus seios
E por teu corpo passar meus lábios
desejosos por prazer...
Até encontrar o que preciso
Para ser regada com a seiva quente.

E depois de todo esse ritual
Vais querer estar comigo dia-a-dia
e eternamente ser meu homem
e eu tua gazela.
Quando então nosso amor
se tornará um poema.

2 comentários:

Rosangela disse...

Ohhh, Dani... Belo e intenso!

Celamar Maione disse...

Uau ! E que poema....

beijão