Ali, no vão de tuas paredes
infiltradas pela umidade,
sustenta-se os alisares
de tua porta aberta.
A coluna de concreto
d’Ali, com bases sólidas
impermeabilizadas,
o vento forte que bate,
seca a tinta rachada
que Ali outrora foi pintada!
Somente cores fortes
decoram teu exterior
deixando transparecer Ali,
toda a arquitetura do seu interior.

5 comentários:

Rosangela disse...

Lindo Ricardo... Eu d'aqui te desejo boas vindas ao Revelar.
Parabéns!
Bjs poéticos anjo!

Daniele Lima disse...

Nossa... devo explicitar que fiquei excitada com a imagem que esse poema me fez enxergar!Perfeito!

desabafodascalcinhas.blogspot.com disse...

Uau ! Pura adrenalina. Verso puro. Verso intenso. Parabéns !
Seja bem-vindo

bj

Liza Leal disse...

Perfect!
Além do que... Me soa bem familiar.
...
Espero q essa liga c/ "Ali" não se acabe.

bj, EL

Liza Leal disse...

Espero que essa liga c/ALI não tenha fim.

Bela FONTE de inspiração!
tim tim
=)