Canalha com classe, assim ela me chama!



Canalha com classe, é?



Bate de frente...
Ah, poesia fria!
Saudade do tempo
Que em ti ardia!
Te encontrava na ilha!
Me Entregava a tua magia
Teu corpo, minha intenção
Meus dentes, cravados em teu coração
Meu amor massageado em tua mão
Serrilhado na afiada emoção
Lucidez? Pra que? Não quero não!
Bom demais nesse delírio
No real da tua fantasia.
Sem tortura ou martírio
Me entrego as tuas manias


2 comentários:

Emoções disse...

O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

Celamar Maione disse...

E como é boa a entrega....